“o trabalho duro dos sacerdotes, longe de ser perfeito, demonstra o esforço humilde e alegre de quem procura fazer comunidade e aproximar-se cada vez mais do povo de Deus”.

O Papa pede aos católicos que olhem com benevolência para os sacerdotes que trabalham em cada uma das suas comunidades, lembrando que "a santidade faz sempre menos ruído que o pecado e o escândalo".

Na edição de junho de O Vídeo do Papa, Francisco afirma que “o trabalho duro dos sacerdotes, longe de ser perfeito, demonstra o esforço humilde e alegre de quem procura fazer comunidade e aproximar-se cada vez mais do povo de Deus”.

O Santo Padre sublinha que os sacerdotes “desejam seguir o estilo da vida de Jesus, com proximidade e disponibilidade, especialmente para com os mais pobres”.

Nas palavras do Papa, o sacerdote é “servo da vida, caminha com o coração e o passo dos pobres; faz-se rico pelo trato frequente com eles”.

Este mês, o Santo Padre dá graças pelo exemplo dos sacerdotes, que com a sua disponibilidade e proximidade, dão testemunho do amor de Cristo, e convida-nos a rezar por eles, “para que com a sobriedade e humildade da sua vida, se empenhem numa solidariedade ativa para com os mais pobres”.

O diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa, P. Frédéric Fornos, sj, afirma a propósito da intenção para este mês: “a oração, o amor por Jesus Ressuscitado, abre as nossas vidas ao sabor do Evangelho. Quando escutamos as palavras do Senhor, nos aproximamos do seu coração, cresce em nós [sacerdotes] o desejo de O seguir, de viver segundo o seu estilo, solidários com os mais pobres.

O Padre Frédéric recorda o que escreveu Bergoglio, como Arcebispo de Buenos Aires, sobre a importância de rezar com coragem sobre o povo de Deus: “Eu rezo? Nós sacerdotes, consagrados e consagradas, rezamos? Fazemo-lo suficientemente quando é necessário? (…) Quando rezamos, estamos a lutar pelo nosso povo” (29 de julho de 2007

Apostolado de Oração

Partilhar:
Comments are closed.