DECRETO DE PROMULGAÇÃO

O Sínodo diocesano que, nas suas três fases, empenhou as cinco Comis- sões sinodais e também numerosos fiéis, sobretudo os que se organiza- ram em grupos de reflexão nas paróquias, entra agora numa fase diferente. É a fase da sua concretização na ação pastoral diocesana. Desejamos que esta tarefa de o levar à prática aconteça, com entusiasmo, alegria e espe- rança, ao nível das paróquias com os seus movimentos e serviços, ao nível dos arciprestados e ao nível da Diocese. Pelo trabalho comum realizado, agradecemos a Deus que com o seu Espírito nos acompanhou e conduziu, e pedimos-Lhe a graça da fidelidade às suas inspirações.

Durante a caminhada sinodal, na oração e na comunhão de sentimentos, a Igreja diocesana cresceu na consciência de que é Povo de Deus por Ele escolhido, de que é Corpo de Cristo – Cabeça e membros – e de que é Templo do Espírito Santo, no Qual todos fomos batizados e a todos nos une. Graças à sua fé em Cristo Jesus, que ela celebra sobretudo nos Sacra- mentos, Deus enriquece-a continuamente com os dons do Espírito Santo, e, sem cessar, a anima, a conduz e a incentiva a viver fielmente a missão que lhe confiou: iluminar a todos com a luz do Evangelho, que é Cristo, e partilhar com todos a alegria dos dons recebidos e os seus frutos.

 

Durante a caminhada sinodal, a Igreja diocesana escutou a voz do seu Senhor, deixando-se iluminar com a luz do Espírito Santo. Escutou-se a si mesma e escutou o mundo, o mundo ferido que Deus ama e quer curar. Este mundo ao qual é enviada para o transformar segundo os desígnios do seu coração de Pai, de Pai “rico em misericórdia” (Ef. 2,4). Nesta escuta, reconheceu as suas riquezas e as suas fragilidades. Projetou a sua reno- vação e foi confirmada no chamamento à corresponsabilidade dos seus membros. Aprofundou que, de acordo com os dons que Deus concede a cada um, há de realizar a sua missão específica na pluralidade dos cami- nhos vocacionais e na diversidade de ministérios.

Reconhecendo que o Espírito de Deus nos acompanhou nesta caminhada e querendo obedecer com fidelidade às suas inspirações, aprovo e pro- mulgo as linhas programáticas e as propostas orientadoras, votadas em Assembleia Sinodal. Determino que sejam publicadas e constituam fonte inspiradora da ação pastoral na nossa Diocese, de tal forma que, aco- lhendo também os desafios do Papa Francisco,“todas as comunidades se esforcem por atuar os meios necessários para avançar no caminho duma conversão pastoral e missionária, que não pode deixar as coisas como estão” (EG, no 25).

À intercessão maternal de Nossa Senhora da Assunção, padroeira da nos- sa Catedral, e à proteção de Santo António de Lisboa, padroeiro desta cidade e da nossa Diocese, confiamos os trabalhos do nosso Sínodo dio- cesano e a ação pastoral diocesana, inspirada nestes documentos sinodais.

Portalegre, 16 de Abril de 2016.

† Antonino Eugénio Fernandes Dias

Bispo da Diocese de Portalegre-Castelo Branco

sinodo.pdf

Nuno Miguel Barradas Tavares Folgado

Partilhar:
Comments are closed.